Qual é o custo de vida na Suíça?

Comparativamente aos outros países, os salários na Suíça são elevados. No entanto, não deve ignorar o custo de vida. Se o orçamento for mal calculado, pode acontecer que não sobre muito dinheiro no final do mês.

Juntamente com a Associação Central Budgetberatung Schweiz (uma associação suíça que presta consultoria sobre o orçamento), criámos para si uma calculadora de orçamento para que possa ver rapidamente o que precisa de ter em mente ao efetuar as suas despesas mensais. Além disso, a Andrea Schmid-Fischer, presidente da Budgetberatung Schweiz, responde às perguntas mais importantes sobre o planeamento orçamental. 

Qual é o custo médio de vida na Suíça?

São fatores como a nossa origem, os nossos valores pessoais e prioridades individuais que determinam a forma como gastamos o nosso dinheiro. Embora os valores médios possam trazer à luz novos elementos, não são suficientemente específicos e têm apenas uma ligação limitada com a vida financeira quotidiana na Suíça. Com um orçamento feito à medida, é muito mais fácil conciliar todas os itens orçamentais que surgem na Suíça e as suas obrigações no seu país de origem de acordo com as suas possibilidades financeiras. E: é aconselhável ter uma reserva para custos imprevistos, tais como os custos adicionais da sua casa, as franquias e comparticipações do seu seguro de saúde e distingui-las das poupanças.

Receitas
6’000.00
Habitação
1'600.00
Impostos
960.00
Seguro de saúde KVG (seguro básico)
380.00
Seguro de recheio da casa/ seguro de responsabilidade civil privado
40.00
Rede fixa, Internet, TV, telemóvel, taxa audiovisual
120.00
Eletricidade
50.00
Transportes públicos
130.00
Total custos fixos
3'280.00
Alimentos e bebidas
500.00
Despesas adicionais
100.00
Total agregado familiar
600.00
Roupas, sapatos
150.00
Extras (cabeleireiro, tempos livres, etc.)
350.00
Total de despesas pessoais
500.00
Franquia anual (mínimo), comparticipação de custos (percentagem)
40.00
Dentista, oftalmologista
30.00
Presentes
90.00
Imprevistos (reserva)
180.00
Total de reservas
340.00
Montante mensal disponível
1'280.00

 

Este exemplo baseia-se em números médios suíços. Fonte: budgetberatung.ch (somente em alemão)

Custo de vida na Suíça: os cantões em comparação

A residência também tem uma influência significativa. Por exemplo, as rendas são mais elevadas em Zug, Zurique e Schwyz, enquanto em Glarus, Neuchâtel e em Jura, a média das rendas dos apartamentos alugados é significativamente mais baixa. E os municípios também diferem muito no que concerne a impostos (somente em alemão). Por exemplo, o imposto no cantão de Zug e de Appenzell Innerhoden é bastante acessível quando comparado com o cantão de Jura, onde o imposto é relativamente alto e por isso é mais caro.

false

Calcular o salário líquido suíço, as contribuições para a segurança social e o custo de vida

O salário líquido é o valor que recebe depois de serem efetuados os respetivos descontos para a segurança social. Quer compreender melhor as contribuições para a segurança social no seu recibo de vencimento? Pode encontrar informações úteis nos folhetos informativos da confederação (somente em inglês) ou pedir ao seu empregador para lhe explicar os descontos no recibo de vencimento. Os itens mais importantes no seu recibo de vencimento são:

  • A pensão de velhice e de sobrevivência (AHV) – 4,35 %;
  • O seguro de invalidez (IV) – 0,7 %;
  • O seguro/indemnização por perda de salário (EO) – 0,225 %;
  • O seguro de desemprego (ALV) – varia de acordo com o salário anual;
  • A previdência profissional (BVG) – varia de acordo com a idade. Entre 7 e 18 % do salário segurado;
  • Seguro de acidentes não profissionais (NBU) – 1 a 2 % do salário bruto. Frequentemente coberto pelo empregador;
  • Retenção na fonte (QST) para trabalhadores estrangeiros – dependendo do local de residência.

 

O plano de reforma/previdência de velhice na Suíça baseia-se no princípio dos três pilares.

1.º pilar: AHV (pensão de velhice e de sobrevivência): plano nacional de previdência

2.º pilar: providência profissional

3.º pilar: providência privada

O importante é: os 1.º e 2.º pilares não cobrem as necessidades de vida na velhice na maioria dos casos habituais e necessários. Por essa razão, aqueles que podem, devem, no âmbito do 3.º pilar, pensar adicionalmente num plano de previdência para a velhice. Mesmo com pequenos montantes bem investidos, pode poupar uma quantia considerável ao longo de muitos anos. Além disso, o 3.º pilar permite-lhe também usufruir de poupanças fiscais. Se estiver sujeito a retenção na fonte, pode aceder ao formulário de pedido de reembolso online no website da repartição fiscal cantonal. Se não estiver sujeito a retenção na fonte, pode fazer a dedução do seu rendimento tributável diretamente na sua declaração de impostos.

Quer calcular o seu custo de vida na Suíça?

A nossa calculadora de orçamento irá fornecer-lhe uma visão geral da quantidade de dinheiro que terá disponível no final do mês. 

Calculadora de orçamento (somente em inglês)

Existe obrigação tributária na Suíça para estrangeiros?

Como trabalhador estrangeiro, será sujeito a retenção na fonte – com exceção da autorização de residência C. Se tiver uma autorização de residência B e se for casado com um cidadão suíço ou com um residente, também não está sujeito a retenção na fonte. Se se separar do seu parceiro suíço, será novamente sujeito a retenção na fonte a partir de 31 de dezembro do ano em causa.

Dependendo do seu país de origem, a retenção na fonte não é nenhuma novidade para si: o seu empregador deduz o imposto diretamente do seu salário bruto e transfere-o para a comunidade. Vantagens: não é necessário planear e reservar os montantes dos impostos a longo prazo. Se já não estiver sujeito a retenção na fonte porque o seu estatuto de residência mudou, isto implicará um elevado grau de responsabilidade pessoal. O seu imposto deixa de ser deduzido diretamente do seu salário e passa a ter de preencher uma declaração de impostos no início do ano. No final, irá receber uma nota de liquidação fiscal da repartição de finanças com o montante que tem a pagar. Contacte a sua repartição de finanças para mais informações ou utilize a calculadora de impostos cantonal. Deste modo, poderá perceber qual o montante do imposto que terá de pagar. O melhor é incluir os impostos no seu orçamento mensal. Em alguns cantões também se pode transferir os impostos diretamente para a repartição de finanças em prestações mensais.

Que impostos terei de pagar na Suíça?

O valor a pagar é de 15 a 20 por cento do seu rendimento líquido. Se não estiver sujeito a retenção na fonte, preencha a sua declaração de impostos eletronicamente. Assim será notificado automaticamente para a maioria das deduções.

Preços de arrendamento suíços: quanto é que posso pagar pelo meu apartamento?

A Budgetberatung Schweiz recomenda a seguinte regra geral para a relação adequada entre salário e renda: os custos de habitação não devem exceder 25 por cento do rendimento líquido. Quanto menor for o rendimento da família, torna-se ainda mais importante gastar menos na renda. No caso de rendimentos elevados e dependendo do tamanho do agregado familiar, os custos com habitação podem rondar os 33 por cento do rendimento líquido. O cálculo do seu orçamento irá ajudá-lo a equilibrar os seus custos com a habitação e com as suas outras despesas. Isto permite-lhe avaliar o que realmente pode incluir no seu orçamento global. Na Suíça, o alojamento acessível é escasso e os custos estão sujeitos a fortes flutuações regionais, tal como noutros países. É por isso que também deve ter em consideração a carga fiscal antes de decidir mudar de residência. Na Internet, encontrará vários quadros comparativos com informações sobre rendas e cargas fiscais. Não seria melhor optar, por exemplo, por partilhar um apartamento?

Do ponto de vista financeiro, o que tenho ainda de ter em conta depois de me ter mudado para a Suíça?

Automóvel e transportes públicos

Os automóveis são caros, o mesmo sucede com os transportes públicos. Ainda assim, um passe anual de 2.ª classe com a SBB sai mais em conta do que um carro pequeno. Um carro pode levar rapidamente a custos de cerca de 500 francos por mês. É, portanto, aconselhável ponderar bem a situação antes de adquirir uma viatura.

Por exemplo: precisamos mesmo de um automóvel? A partilha de automóveis é uma alternativa? Ou a favor da saúde: também pode ir trabalhar ou fazer compras a pé ou de bicicleta? Quer incluir estas reflexões na procura de apartamento? Em muitos casos, na Suíça é possível viver tão perto do trabalho que um automóvel acaba por ser desnecessário. Não consegue prescindir de viatura própria: evite, sempre que possível, o leasing. Provocam custos fixos elevados a longo prazo e pressupõe, obviamente, que dispõe de poupanças com as quais pode pagar o automóvel. Os primeiros grandes custos surgem quando se adquire um automóvel. Um cálculo de custo total de uma viatura inclui:

false
  • Custos fixos: imposto único de circulação, seguro de responsabilidade civil, seguro com cobertura total ou parcial dos riscos, franquias, lugar de estacionamento/garagem, taxa para clubes automobilísticos do país/vinheta.
  • Custos variáveis: gasolina, substituição de pneus, revisão/reparação/óleo/manutenção de emissões de escape, manutenção da viatura, taxas de estacionamento, multas.

E não se esqueça da amortização. Depois de comprar um automóvel novo, a amortização deverá ocorrer antes de comprar outra viatura.

Famílias e dinheiro

As crianças são o melhor do mundo! Ainda assim, há muitos casais que têm dúvidas quanto aos custos adicionais que acarreta ter filhos. Cada mãe, cada pai tem as suas próprias ideias, valores e prioridades quando se trata de gerir a vida familiar e emprego. E com o tempo e a idade das crianças tudo pode mudar. Na maioria dos casos, os casais quando decidem ter filhos, optam pelo rendimento mais elevado

Isto é plausível. No entanto, acarreta consequências a longo prazo no que diz respeitos às oportunidades de carreira do progenitor principal, que também deve ser tido em conta. As crianças crescem e isso implica mais liberdade, frequentemente também associada a custos mais elevados.

No início, há certas compras pontuais, como um carrinho de bebé, que são essenciais. No entanto, a seguir surgem as despesas recorrentes, tais como os custos de infantário, contribuições para o seguro de saúde, energia, custos domésticos (fraldas, produtos de cuidados para bebés, etc.) que assumem um papel relevante.

false

Por seu turno, pode haver custos que diminuem ou permanecem moderados. Por exemplo, impostos, especialmente devido às deduções fiscais por crianças. Dependendo dos hábitos de família, há menos custos alimentares externos porque se come mais em casa. Ou porque, em vez de planear uma saída mais dispendiosa, opta-se por fazer um piquenique no parque, um passeio ao longo do cais ou uma visita a uma quinta. As despesas com vestuário e calçado para as crianças também se podem controlar durante muito tempo, se as famílias oferecerem entre si estes bens a preços baixos ou até mesmo gratuitamente. Com o avançar da idade das crianças, surgem novas despesas, com grupos lúdicos, atividades de lazer e custos com educação. Aconselha-se elaborar um orçamento antes de cada nova fase da vida para ficar com a ideia do que o espera e se consegue aguentar com as despesas.

Tem dúvidas?

A nossa equipa "Bem-vindo à Suíça" está ao seu dispor – por telefone, e-mail ou chat. Selecionamos uma equipa de peritos que irá responder às suas perguntas na sua língua materna, sempre que possível. 

Linha de apoio

0800 22 88 44 (Segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas)

Sanitas magazine: Spotlight on health-related issues